Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




a M.J. também completa a frase

por M.J., em 23.09.15

sou muito obcecada com favas.

não suporto favas.

eu nunca comi favas.

já me zanguei com a minha mãe quando me tentou obrigar a comer favas.

quando era criança descascava favas.

neste exacto momento estou a sentir o estômago a revolver-se com a ideia das favas.

morro de medo de ocorrer um cataclismo mundial e a única coisa que sobre para eu comer sejam favas.

sempre gostei de gente que compreendia que eu não gostava de favas.

se eu pudesse eliminava as favas do mundo.

adoro entrecosto sem favas. 

fico feliz quando alguém compartilha o meu asco por favas. 

se pudesse voltar no tempo ia ao dia em que fiquei a odiar favas. 

quero viajar para um país onde o cultivo das favas seja proibido

eu preciso de parar de falar em favas.

não gosto de ver cãezinhos vestidos (o quê, pensavam que ia falar em favas?)

 

(obrigada a quem tão gentilmente se lembrou de mim :) )

publicado às 09:00


6 comentários

Imagem de perfil

De Me, myself and I a 23.09.2015 às 09:49

Como sempre...deliciosa leitura! Ah...eu também detestava favas mas quando fiquei gravida deu-me uma loucura por favas e fiquei a adorar! (pois...lá estão melas com as conversas sobre mães e coisa e tal!)
Imagem de perfil

De M.J. a 23.09.2015 às 10:19

a sério que é possível ficarmos a gostar de uma coisa que não gostávamos? olha, se for assim saudável como favas aí está uma das poucas vantagens de ser mãe. se ficar grávida me fizer gostar de legumes não penso duas vezes.

(a minha mãe disse que era por queijo. todo e qualquer tipo de queijo. por ela só comeria queijo. e eu odiei queijo toda uma infância e adolescência.)
Imagem de perfil

De Me, myself and I a 23.09.2015 às 10:28

Sempre a picar miolo...uma das poucas vantagens de ficar grávida? És terrivelmente terrível! Só espero que não vire moda, tipo "Sr. Dr. a minha filha não come vegetais, o que hei-de fazer?"...ao que responde o Sr. Dr. " Tenho a solução perfeita...basta que ela engravide!" (ahahahah descobri agora a minha faceta de humorista sem piada!)
Imagem de perfil

De M.J. a 23.09.2015 às 10:37

o problema é que não é uma ciência exacta.
vá, sem nos matarmos, diz-me lá vantagens práticas de estar grávida.
Imagem de perfil

De Me, myself and I a 23.09.2015 às 11:07

Ok...as vantagens práticas de se estar gravida são: ter fila prioritária em tudo quanto é sitio mas depois....não temos!
Agora num registo mais sério, não podemos falar de vantagens práticas como se estar grávida fosse como escolher um carro ou uma casa!
Eu desejava muito ser mãe, via a idade a passar, tinha saído de um casamento sem filhos (por escolha dele). Vi-me com 34 anos, divorciada, sozinha e com uma vontade enorme de ser mãe! Por isso quando conheci o C. e começamos a namorar ele sabia que ser mãe era a minha prioridade! E não se assustou com essa ideia e "deu-me" um filho maravilhoso e estamos juntos há 10 anos!
Adorei estar grávida, sentir um pequeno ser crescer dentro de mim. Adorei cada quilo que engordei, cada desejo que me dava. Adorava sentir aquele ser mexer, como quando o pai passava a mão pela barriga e falava com ele, ele se mexia! Sim, parece um cliché, mas sempre soube que iria ter um rapaz!
É um misto de emoções, sentia-me poderosa e ao mesmo tempo receosa.
Mesmo as coisas menos boas, como por exemplo a azia constante que me atacava, ou mais tarde, a bexiga sempre cheia, ou os pés a incharem, nada disso tinha importância para mim!
Não sei se soube transmitir esta turbulência de "vantagens práticas" em estar grávida que me assolaram durante 9 meses, mas espero que sim!
Imagem de perfil

De M.J. a 23.09.2015 às 11:15

não. ou melhor eu é que não as consigo apreender. porque nunca consegui que ninguém me explicasse, ou melhor que eu entendesse, esse desejo de ter um filho. para além das hormonas e dos impulsos biológicos que levam à continuação da espécie e que portanto entram dentro das cabeças das pessoas mascarados de sentimentos, nunca consegui entender o que leva, claramente, alguém a querer ter filhos.
perguntei a um colega, abertamente, com quem tinha confiança para o efeito, o motivo que o levava a querer ser pai, na altura em que a namorada engravidou. o porquê da felicidade dele, tentando alhear-se das claras hormonas. e ele disse-me coisas como "continuação de mim", "sentimento de seguimento", "sentir que há uma razão clara para viver".
isso não chega. quando digo que não entendo é porque não entendo mesmo. eu tenho plena capacidade de amar, de me entregar completamente aos outros. mas olhando para todas as responsabilidades, toda a enormidade que temos de abdicar para ter um filho não entendo, juro que não quais as vantagens do mesmo. porque sejamos sinceros: se não há vantagens porquê ter?
e o pior é que nunca posso falar disto com ninguém que tenha filhos porque olham como um ataque quando não é. juro que não é um ataque. é apenas tentar compreender.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



foto do autor



e agora dá aqui uma olhada