Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




sabão

por M.J., em 16.07.18

a mamã lavava a roupa num tanque da vizinha. 

durante anos não houve máquina de lavar roupa e todo o vestuário passava pelas mãos da mamã que, de inverno ou verão, ensaboava, esfregava, enxaguava e fazia escorrer a água da roupa, transportando-a depois de lavada numa grande bacia vermelha até casa, exposta ao ar em cordas ao pé do quintal.

nos dias de inverno mais frios as mãos da mamã ficavam vermelhas e áridas.

às vezes o sangue quase parava de circular no gélido da água corrente a que se aliava a lixívia neoblanc e o sabão clarim. 

 

detalhe_01_clarim.png

 

nunca esqueci o cheiro destes dois:

cheiram-me a lavado, a novo, a amor, dedicação e sacrifício.

e hoje relembram-me as mãos pequenas e delicadas da mamã, a aliança jamais retirada do dedo anelar, as gretas nas pontas dos dedos e o cieiro nas costas da mão.

 

as mãos da mamã faziam coisas maravilhosas e lavar a roupa era uma delas.

às vezes os lençóis brancos ficavam estendidos na corda a perfumar de sabão o odor das flores do quintal, estendidos ao vento.

e eu imaginava neles bandeiras de piratas, castelos de princesas e campos de flores sem fim.

 

em cada pedaço do que fazia a mamã depositava - e deposita - todo um amor enorme à pessoa que sou eu.

a dedicação de ensaboar os meus fatos de treino da escola, as minhas calças de domingo ou as blusas com grandes golas de renda que a avó me dava era a mesma com que hoje compra roupas para um neto ou neta que ama tanto como se já o tivesse pegado nos braços.

a minha mãe é a definição de amor.

e eu, que vou ser mãe não tarda, morro de medo - um medo cortante, frio, gélido, que mata o cheiro do sabão clarim, que corta com dores mais agudas do que as gretas das mãos, que corrompe mais que o cieiro do frio - de não saber ou conseguir amar como ela amou a vida que vou apresentar ao mundo.

e se eu não souber fazê-lo?

 

e se em vez de sabão clarim o meu amor cheirar a vinagre fétido, suor escorrido e ao azedo das coisas pequenas?

publicado às 16:37


1 comentário

Imagem de perfil

De amarquesademarvila a 19.07.2018 às 19:11

Todo o amor de mãe cheira a coisas diferentes, umas a sabão clarim, outras a perfume. Mas todo o amor da mãe que ama é um amor com cheiro bom!
Não temas!
As minhas filhas dizem-me imensas vezes quando me abraçam: Cheiras a mamã!, não sabem explicar como é esse cheiro, mas adoram-no e aconchega-as e isso é o mais importante. E eu nunca saberei que cheiro é esse que elas sentem quando me abraçam, mas adoro que o sintam! E eu não sou uma mãe perfeita, mas sou a melhor mãe que elas poderiam ter porque sou a mãe delas, a que as ama mais do que tudo mesmo com as minhas imperfeições.
O teu amor de mãe vai ser infinitamente grande e o teu filho saberá que cheiro bom ele sentirá quando te abraçar.
Beijinhos

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



foto do autor



e agora dá aqui uma olhada