Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




salvador sobral

por M.J., em 06.03.17

que não se tenha bom gosto musical entende-se. e aceita-se, que isto cada um é como é e não há grande coisa a fazer. 

 

que não se consiga ver a beleza em certas músicas pois que pronto, a gente encolhe os ombros e prossegue. por algum motivo há tanta gente a delirar com os carreiras desta vida e os "a gente fazemos" em refrões.

 

agora, que não se tenha gosto musical, não se consiga distinguir uma nota do tamanho de um carro, não se perceba um cu de afinação ou técnica e ainda se critique arte...

...é coisa que não só não se compreende, como causa uma vergonha alheia do tamanho de áfrica.

 

creio que gente dessa devia ser condenada a uma surdez musical para o resto da vida, ouvindo apenas em loop constante "o nosso amor é verde". só. sem mais. para sempre.

 

criticar esta música revela uma enorme incapacidade:

incapacidade de ouvir mas - sobretudo - de sentir.

e deve ser tão triste não ter a capacidade de sentir em pleno... que chega a causar pena. 

 

 

publicado às 10:30


3 comentários

Imagem de perfil

De Sarah a 06.03.2017 às 12:49

Para mim, toda a indignação em torno desta música, mostra o des-estado da nação: os tipos que levam a maria leal aos arautos da música nacional nunca, em tempo algo, seriam capazes de tirar um café longo, colocar uma manta pelos ombros, ir para uma varanda num dia fresco no inverno, e ouvir esta canção.
No Brasil seria bossa nova, Jobim ou Caetano. Cá, é um desperdício de arte.
Imagem de perfil

De Gaffe a 06.03.2017 às 14:58

OLHA!!!
Uma opinião parecida com a minha!
Imagem de perfil

De Sarah a 06.03.2017 às 15:14

yup.
é daquelas músicas que ouvimos num gira discos, com a agulha a arranhar o vinil.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



foto do autor



e agora dá aqui uma olhada