Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



começo com esta!

 

 

há poesia na lingua mãe para acompanhar dias cinzentos.

 

(e outros)

 

baladas para um dia triste,

sempre que sentirem que ninguém sente o que vos dói.

 

(é consumir com moderação).

 

de nada. 

publicado às 14:00

na terra dos sonhos

por M.J., em 02.02.15

senti-me frágil em muitas noites, bebendo copos de vinho e brindando ao que perdi de mim mesma (1);

acreditei em dias melhores, pelo menos em sonhos, quando julgava que tudo estava perdido (2);

sobrevivi a bebedeiras e comprimidos esperando um fim que não veio (3) e pelo qual não me perdoo;

imaginei-me cega e perdida, numa cama a latejar, pensando no mundo que deixara fugir entre mãos (4).

desabafei solidões (5) a quem não quis ouvir;

disse "mãe, eu estou bem" (6) "que o meu amor existe, separou as minhas feridas, e pôs-me a salvo para além da loucura" (7).

senti-me em guerra, eu feita em duas almas, duvidando sempre sem que nenhuma ganhasse (8).

e ainda assim sei, sem questionar, que irei continuar (9) uma vez que o presente é uma réstia de esperança... enquanto houver saúde (10).

 

1. frágil.

2. na terra dos sonhos;

3. à espera do fim;

4. imperdoável.

5. bairro do amor;

6. eu estou bem;

7. o meu amor existe;

8. só;

9. a gente vai continuar;

10. o centro comercial fechou.

 

(sim, sim, vi Jorge Palma ao vivo).

 

F I.png

vem ter comigo ao facebook - aqui,  e instagram - aqui

 

 

publicado às 11:38


foto do autor



e agora dá aqui uma olhada


deu discussão! (quase porrada)